domingo, 21 de junho de 2009

Sobre as Borboletas Paralíticas.

*Sobre as Borboletas Paralíticas
Sim, eu sei. Pode parecer maluquice, mas eu vou mesmo desparafusá-las e arremessá-las no jardim. Mesmo que não possam voar, ficarão entre as flores, o devido lugar das borboletas paralíticas. Não suporto mais essa idéia de abrir a janela, levantar os vidros e vê-las ali: disfarçadas de dobradiças.


Bom...depois de ouvir muitas pessoas dizendo "como assim? você não tem um blog!?"eu resolvi fazer uma experiência.
Então depois de muito pensar,eis que nasce meu filho! O Borboletas Paralíticas sai do forno com a finalidade de não ter finalidade alguma!
Não será um diário,até porque ia ser muito chato e monótono,e eu não tenho muita disciplina pra ter um.Vai conter alguns textos meus[ou a maioria],textos dos meus amigos,histórias,enfim tudo o que eu gostar.Acho que descobri uma finalidade pra ele!
Apesar de escrever desde os 13 anos de idade eu não tenho muita coisa pronta,perdi a maioria delas em formatações malígnas de HD e papeis que foram para o lixo sem eu perceber.=/ E como eu estou voltando a organizar as coisas agora,ainda tenho bastante coisa pra rever,arrumar e descartar.

Então para começar eu vou colocar aqui um texto que eu gosto muito.

4 comentários:

  1. Bem vindo a este mundo de incertezas BP!!

    ResponderExcluir
  2. Não tem como deixar um simples comentario do tipo, ah meoo seu blog tah mto legal bjos =D
    Suas palavras nescessitam demais palavras huahauha
    Esse jeito de escrever tão profundo ,detalhado q prende a atenção do leitor e faz imaginar a cena , isso é mto dificil poucos conseguem (ainda mais prender a minha atenção a leitura )
    volto a repetir embora profundo e cheio de detalhes isso brinca com a imaginaçao
    esta tudo mto lindo msmoo
    (sem mais )
    Bjo Sah
    sz

    ResponderExcluir
  3. Desculpe..mas esse texto não é de Rita Apoena??

    ResponderExcluir
  4. Que bom que as suas borboletas tinham o tino da dissimulação. Elas devem ter ido ao dicionário primeiro e, de lá, captaram um codinome para se esconderem: dobradiças, aquilo que muita gente segura para encontrar um novo panorama para a própria vida. Dobradiças assim, tal qual seu blog, servem para arejar a mente e refrescar o coração. Enquanto que aquelas borboletas mortas que os poetas encabulados colecionam em gavetas, essas borboletas finadas perderam a vivacidade das suas borboletas paralíticas.

    ResponderExcluir