domingo, 6 de junho de 2010

But,I never told you.

02:40 AM.

Deitou a cabeça e sonhou.
Sonhou com o abraço, aquela sensação quente e macia. Sentiu a respiração leve,o perfume. Sorriu.
Foi como se esperasse isso. Como se de alguma forma o corpo se moldasse e entrasse em súbita harmonia ao primeiro toque.
Não havia palavras. Não precisaram disso. Pareceram nunca precisar. Era o silêncio dizendo por eles. Nas mãos dadas,no sorriso...
Quando de repente o sorriso desapareceu, junto com as mãos e o abraço...Ela sentiu tudo ir embora. O peso de um mundo no peito, queria apenas descobrir o que tinha feito tudo acabar...Ela não queria ir embora, e não podia deixar ele ir também. Até que se lembrou, e foi como se tivessem rasgando-a por dentro.
Não ela nunca disse. Era isso...O medo de tentar. Ela que sempre recebeu carinho, nunca soube que não era fácil amar.

"
But I never told you
What I should have said
No, I never told you
I just held it in..."

Ela nunca havia dito. Nunca disse que gostava do sorriso dele, que achava as suas mão lindas, que ela o amou mais do qualquer coisa nessa vida...Não ela nunca disse.
Foi quando saiu correndo, debaixo da chuva que insistia em cair e gritou, a plenos pulmões o que estava travado na garganta . E ela começou assim:
"But I never told you ..."
A última coisa que viu os braços dele em volta da sua cintura, os lábios encostando no lóbulo da sua orelha e as palavras "And now, I miss everything about you ..."
Sentiu o calor percorrer seu corpo outra vez, e de uma vez por todas ela sabia que estava tudo bem.

09:30 AM.

O relógio despertou no horário de sempre, acordou atordoada, sem saber exatamente o que tinha acontecido...Aquela sensação feliz a estava deixando oura vez. E então, tinha sido apenas um sonho...Foi então que ela sentiu o perfume em seus braços. Não, nem tudo foi um sonho.
Havia uma parte dele com ela, que iria guardar para sempre....Até ter a aportunidade de dizer, o que ela nunca disse.

3 comentários:

  1. acho que nunca te disse que naquele dia os minutos nao passavam até a hora de vc chegar...a insegurança...o medo...a vergonha...tudo sumiu com o seu abraço...seu cachecól rosa, seus passos curtos, seu jeito de andar, falar, contar suas histórias...but I never told you...

    ResponderExcluir
  2. O que é bom não acaba..
    Enfim um texto perfeito..
    Espero um livro seu..

    ResponderExcluir
  3. Ainda tem o seu perfume pela casa, ainda tem você na sala, porque meu coração dispara quando tem o seu cheiro dentro de um livro,
    "Nas cinzas das horas". Cê já deve ter escutado "Vambora", de Adriana Calcanhoto. Mas conhece "Nas cinzas das horas", do Manuel Bandeira? Leia uns trechos aqui: http://www.lpmeditores.com.br/livros/Imagens/bandeira_de_bolso.pdf

    ResponderExcluir