quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Agora é a vez dela.

Sabe, eu sempre escrevi. Mas nunca pensava em deixar público. Um dia, uma amiga publicou um texto meu no blog dela. E assim, algumas semanas depois o BP saiu do forno. foi o empurrão que eu precisava.
Hoje, me vejo fazendo exatamente a mesma coisa com uma amiga que é tao parecida comigo, e em algumas coisas tão diferente, que chega a ser assustador as vezes.
Mas, o fato é que ela tem talento, e tem vontade de por no papel o que pensa. Por isso hoje eu abro as portas do BP para ela, que eu tenho certeza que vai surpreender, e se surpreender.
Aline Bulk Amarante, pode entrar. A casa é nossa.


ELE anda cansado

das baladas e dos casos furtivos sem sentimentos. Aprendeu a gostar da própria companhia, sem precisar estar em uma turma de amigos todos os sábados. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno, mas que traga um sabor doce às suas manhãs, que seja a melhor companhia para olhar a lua. Que ele possa exibir os seus dons na cozinha e o seu conhecimento em vinhos, só para ela.Quer uma mulher que ele reconheça pelo cheiro dos cabelos, pelo toque dos dedos, pela gargalhada que vai ecoar pela casa transformando um domingo sem graça, no melhor dia da semana. Quer viver uma paixão tranqüila e turbulenta de desejos… quer ter para quem voltar depois de estar com os amigos, sem precisar ficar “caçando” companhias vazias e encontros efêmeros. Quer deitar no tapete da sala e ficar observando enquanto ela, de short jeans, camiseta e um rabo de cavalo, lê um livro no sofá, quer deitar na cama desejando que ela saia do banho com uma lingerie de tirar o fôlego.Quer brincar de guerra de travesseiros, até que o perdedor vá até a cozinha pegar água. Quer o poder que nenhum dos seus super heróis da infância tiveram… o poder de amar sem medo, sem perigo e sem ir embora no dia seguinte.Quer provar que pode fazer essa mulher feliz !

ELA quase deixou de acreditar que seria possível ter vontade de se envolver novamente. Foram tantas dores, finais, recomeços e frustrações que pensou em seguir sozinha para não mais se machucar. Então percebeu que a vida de solteira já não está fazendo tanto sentido. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno, mas que possa acordá-la com um abraço que fará o seu dia feliz, quer um homem que ela possa cuidar e amar sem receios de que está sendo enganada. Quer a alegria dos finais de semana juntinhos, as expectativas dos planos construídos, o grito de “gol” estremecendo a casa quando o time dele estiver ganhando… a cumplicidade em dividir os segredos. Quer observá-lo sem camisa, lendo o jornal na varanda… quer reclamar da bagunça no banheiro, rindo e gritando quando ele revidar puxando-a para o chuveiro, completamente vestida.

Quer a certeza de abrir a porta de casa e saber que mesmo ele não estando, chegará a qualquer momento trazendo o brigadeiro da doceria que ela gosta tanto. Quer beijar, cheirar, morder, beliscar e apertar para ter certeza que a felicidade está ali mesmo… materializada nele. Quer provar que pode fazer esse homem feliz !

ELES estão por aí… sonhando um com o outro… talvez ainda nem se conheçam… mas é só uma questão de tempo, até o destino unir essas vidas que se complementam e estão ávidas para amar e fazer o outro feliz.

Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?

E quando você pensa que seu coração vai ficar sossegado, vem uma surpresa!

Você decide mais uma vez fugir da rotina, e sim, contrariar suas vontades.

Naquele dia ela só queria ficar em casa...Mas sua amiga estava tão empolgada para sair, que ela resolveu ir...

Arrumou-se e foi encontrar suas amigas...A animação rolando solta. Muitas risadas, brincadeiras, e a balada vazia no começo.

De repente, a casa foi ficando cheia...

Dançavam e riam sem parar. Acabaram sendo o centro das atenções.

Lara foi dar uma volta com sua irmã Agatha...

Andaram de um lado para outro, procurando conhecidos...

E num impulso, como se alguém a chamasse, Lara virou seu rosto para trás, e seu olhar encontrou com uns olhos verdes que ela nunca havia visto antes...

Começava ali algo inesperado.

A dupla andava por todos os lados até encontrar com o menino que Lara, muito brincalhona, dizia a ter “seduzido” .

Era um misto de vontade e medo.

Trocavam olhares, passavam um do lado do outro, se esbarravam e até ameaçavam trocar palavras, mas Lara estava tão nervosa que lhe faltava coragem.

Depois de muito insistir, Agatha convenceu Lara a deixá-la falar com o gato...

Não sabia o que fazer com as mãos, mexia no cabelo sem parar, olhava a sua volta tentando disfarçar a incontrolável ansiedade...

Alguns minutos depois (que pareceram uma eternidade) Agatha vem na direção de Lara, com ele, o gato, o lindo, ao seu lado!

Loiro, alto, olhos verdes e cara de homem.

Além de chamar atenão pela beleza, foi extremamente simpático.

Ela não se conformava que os dois ali estavam, conversando como se já se conhecessem há anos...

Ele puxando assunto, com um sorriso lindo e um olhar encantador...

Ah, o nome dele, claro...Júnior. 21 anos...Que voz linda, que todo lindo!

Ela não sabia se ria ou chorava de alegria...

Ele dizia ser tímido, e que se “ela” não tivesse chegado para conhecê-lo, ele não teria arriscado.

Sorte que ela, e sua “cara de pau”, companheira de sempre, foram atrás dele.

Durante a conversa, surgiu aquele momento de “quebrar o gelo”.

Assim:

Ela: - Eu estava de olho em você desde a hora que chegou...

Ele: - Ah, duvido!

Ela: - Sério...você me chamou muito a atenção...não poderia sair daqui hoje sem falar com você, apesar da vergonha...

Ele: - Que bom que falou... (sorrindo)

Ela: - Você é lindo.

Ele: - Também gostei de você. Para falar a verdade, queria beijar sua boca desde a hora que te vi...

Ela: - Queria por que? Agora não quer mais?

Ele: - Claro que quero...

Ela: - Então beija.

Após a conversa e sua tremenda direta, rolou o tão esperado e desejado beijo.

Ela não se conteve...sorriu feito criança quando ganha presente.

Chegou a imaginar que não passaria daquela noite, mas foi surpreendida.

Ele: - Vamos lá para fora, quero conversar com você.

Ela: Claro... (Pensando: caramba, ele quer conversar)

Lara só poderia estar sonhando...

Foram para o lado de fora e começaram a conversar. Trocaram telefones e promessas de se encontrarem novamente.

Muitas coincidências...pais separados, empregos recentes, até o nome das mães: Débora.

Era muita sorte...Júnior pediu para Lara falar mais sobre ela.

Que mulher não quer um homem desses, que se interesse por ela?

Lindo, simpático, papo gostoso, inteligente...e que goste de conversar!

Bom mesmo...

Tudo bem que o time não é lá essas coisas...mas tá valendo, grandes rivais em campo.E o signo, nossa...taurino!

Nesse momento ela já pensava em todas as combinações astrológicas, claro.

Ficaram por ali um bom tempo, e curtiram as músicas juntinhos, com direito a tema. Quando tocou ♪ um dia te vi caminhando, perdida, sozinha, o que aconteceu? ♪ ele falou no ouvido dela: “Olha só, nossa música!”.

A noite foi passando e chegou a hora de irem embora, com a intenção de se encontrarem mais vezes.

Conversas pela internet e por celular durante a semana...e mais um fim de semana chegou.

Claro que eles se viram novamente. Foram ao cinema e dormiram juntos. Rápido não? Mas intenso e verdadeiro.

Pensam que acabou assim? Que nada...Mais uma semana, mais conversas, mensagens e até ligações...

Ela se sente surpresa, e encantada com tanta atenção.

Próximo destino: casamento na serra. Com ele, já ? Não, rsrsrs, de um amigo do sogro dela...digo, do pai dele...

Ah, até a sogra, ops, a mãe dele, e o namorado ela conheceu. Simpatissíssimos.

Há quem imagine: mais uma vez Lara? Já está apaixonada? Não vá se iludir...

Mas ela não se importa, e diz:

“Eu me atiro, me entrego mesmo! Se não der certo? Deixa.

Prefiro lidar com as consequências do que com as suposições.”

Aline Bülk Amarante, 26/10/2011 – 12h27m.

Um comentário:

  1. É sempre muito bom ver as pessoas escrevendo, se descrevendo e sonhando.

    Que a Aline escreva mais. O mundo aguarda mais de seus textos.


    Beijo, Sazon.

    ResponderExcluir